Com Paulo Tavares (agência autonoma), mediação de Fernanda Bruno (MediaLab.UFRJ) e Adriano Belisário (MediaLab.UFRJ)

Local: Capacete – Rua Benjamin Constant, 131 – Glória, RJ
Data: Terça-feira (20/03), às 19 horas
Evento gratuito

A intervenção militar no Rio; o deslocamento forçado de comunidades indígenas no sul do Equador para a abertura de uma mega-mina de cobre; a violência dos diversos colonialismos e extrativismos que se perpetuam nas Américas. Em Exceção, Expulsão, Extração: cartografias da violência nas Américas, o arquiteto e urbanista Paulo Tavares articula esses temas ao explorar as ferramentas da arquitetura, do jornalismo investigativo, do mapeamento e da análise de dados, em suas dimensões estéticas e políticas, como instrumento de luta por direitos (humanos e não-humanos).

Professor da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de Brasília (UnB), coordenador da agência autonoma e colaborador do coletivo Forensic Architecture, Tavares explora o espaço e suas formas de representação como campos de relações de poder e conflito, mobilizando a arquitetura como instrumento de conhecimento e agenciamento cívico. Se a cidade é um direito, argumenta, “a arquitetura é uma forma de advocacia”. Projetos incluem Memória da Terra, Arqueologia da Violência, La Tierra Arrasada (Guatemala: Operacion Sofia),e seu mais recente projeto, Expulsión: cartografias del desplazamiento. Realizado em parceria com o MediaLab.UFRJ, Expulsion investiga o processo de deslocamento forçado de comunidades indígenas e camponesas na Cordillera del Condor, localizada no sul do Equador, através da apresentação de uma série de evidências cartográficas, documentais, fotográficas e arqueológicas.

http://www.autonoma.xyz/

 

REALIZAÇÃO
MediaLab.UFRJ
Capacete

PARCERIA

Rede LAVITS

APOIO
Fundação Ford

 

Mais sobre Expulsión:

medialabufrj.net/2018/01/expulsion-cartografias-del-desplazamiento/