Artigo // “Tudo por conta própria”: autonomia individual e mediação técnica em aplicativos de autocuidado psicológico

13 de abril de 2021

O artigo discute o resultado da análise de 10 aplicativos móveis de autocuidado psicológico utilizados no Brasil, que denominamos PsiApps. A análise se desdobra em duas camadas: uma ‘visível’, que envolve os discursos dos próprios aplicativos para descrever os problemas que visam solucionar, suas promessas e seus métodos; outra ‘invisível’, que inclui formas automatizadas de coleta e compartilhamento de dados dos usuários pelos aplicativos.

Observamos como a ênfase na individualidade e na autonomia manifesta na primeira camada torna opaca uma série de mediadores presentes na segunda camada, em grande parte invisíveis para o usuário. O contraste entre a centralidade da agência individual promovida pelos discursos dos PsiApps e o caráter relacional da infraestrutura e do ecossistema de dados que os integram evidenciam as contradições da autonomia ofertada por esses aplicativos.

“‘Tudo por conta própria’: autonomia individual e mediação técnica em aplicativos de autocuidado psicológico” é de autoria de Fernanda Glória Bruno, Paula Cardoso Pereira, Anna Carolina Franco Bentes, Paulo Faltay, Mariana Antoun, Debora Dantas Pio da Costa, Helena Strecker e Natássia Salgueiro Rocha.

Publicado na Revista Eletrônica de Comunicação, Informação & Inovação em Saúde (Reciis) do Instituto de Comunicação e Informação Científica e Tecnológica em Saúde da Fundação Oswaldo Cruz (Icict/Fiocruz).

Clique aqui para acessar o artigo na íntegra.


Os comentários estão desativados.