TESE // MÁQUINAS PARANOIDES E SUJEITO INFLUENCIÁVEL: CONSPIRAÇÃO, CONHECIMENTO E SUBJETIVIDADE EM REDES ALGORÍTMICAS, DE PAULO FALTAY

30 de abril de 2021

Em sua tese de Doutorado, Paulo Faltay, pesquisador do Media.Lab e da Lavits,  analisa o grupo autointitulado Targeted Individuals (TIs), ou Indivíduos-Alvo. Reunidos em sites, blogs e redes sociais digitais, os TIs partilham da crença de serem vítimas de manipulação e de controle mental por meio de aparelhos eletrônicos e tecnologias digitais.

.

FALTAY, Paulo. Máquinas paranoides e sujeito influenciável: conspiração, conhecimento e subjetividade em redes algorítmicas. Tese (Doutorado em Comunicação e Cultura) – Escola de Comunicação, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2020.

Resumo A tese se debruça sobre o grupo autointitulado Targeted Individuals (TIs), ou Indivíduos-Alvo. Reunidos em sites, blogs e redes sociais digitais, os TIs partilham da crença de serem vítimas de manipulação e de controle mental por meio de aparelhos eletrônicos e tecnologias digitais. A análise da produção de conteúdo pelo grupo em canais do YouTube permite notar como a percepção de influência pela tecnologia, para além de circunscrita a delírios e fantasias psíquicas particulares, se apresenta como uma tentativa de elaboração de sentido frente à centralidade ocupada por plataformas e opacas mediações algorítmicas na reorganização das vidas sociais e subjetivas. A hipótese aqui desenvolvida é de que a crescente proliferação de narrativas paranoides e conspiratórias se deve não apenas às impossibilidades cada vez maiores de distinção entre verdade e mentira, e ao caos e à insegurança informacional advindos de disputas epistemológicas e políticas no debate público. É fruto também dos investimentos das empresas de tecnologia em técnicas e procedimentos de produção de conhecimento sobre indivíduos e populações de modo a influenciar, gerir e intervir no comportamento. Os modos de percepção e subjetivação paranoide são, assim, relacionados à emergência da figura do sujeito influenciável. A tese pretende mostrar que a noção de influenciabilidade dos sujeitos, tornados objetos de intervenções a partir do comportamento monitorado, articula modos de percepção paranoides sobre as relações de poder, os regimes de saber e os modos de ser em redes algorítmicas do capitalismo orientado por dados. Trata-se de dimensões relacionadas, respectivamente, com o conspiracionismo; com a crença na eficácia tecnocientífica e nos conhecimentos produzidos a partir de dados digitais; e com os modos de subjetivação e de constituição de si ante a promessa de personalização dos sistemas automatizados de recomendação e direcionamento de conteúdo.

Palavras-chave: algoritmos; paranoia; subjetividade; teorias da conspiração; sujeito influenciável

ACESSE AQUI A TESE COMPLETA


Os comentários estão desativados.